Português Italian English Spanish

Alexandre de Moraes livre de impeachment, engrossa o caldo dos bolsonaristas e ministro deverá vir com novas prisões no contra-ataque.

Alexandre de Moraes livre de impeachment, engrossa o caldo dos bolsonaristas e ministro deverá vir com novas prisões no contra-ataque.


A decisão de Rodrigo Pacheco em não acolher o pedido de Impeachment de Alexandre de Moraes, engrossa o caldo dos bolsonaristas para o próximo 7 de setembro e, ao mesmo tempo, força o ministro caçador dos cabeças do bolsonarismo decretar prisões ao decorrer dos próximos capítulos. Pacheco se encontrou com Moraes, após Bolsonaro pedir o impeachment do ministro. Agora azedou o caldo com a derrota de Bolsonaro para Moraes na batalha travada entre os dois no inquérito do Fim do Mundo (Fake News).

Ministro Alexandre de Moraes durante sessão no STF sobre o inquérito das Fake News e atos antidemocráticos.

O que era esperado, aconteceu. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco recusou o pedido feito pelo Presidente Jair Bolsonaro de abertura de impeachment contra o ministro do STF, Alexandre de Moraes, hoje, o maior inimigo do bolsonarismo.
A denúncia de crime de responsabilidade foi apresentada na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro. Pacheco já afirmou que não vê elementos para abertura do processo.
Pacheco teria se encontrado com Alexandre de Moraes, após o Presidente Bolsonaro tornar público o pedido de Impeachment contra o ministro do STF.

Bolsonaro em conversa com a imprensa, anuncia o pedido de Impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes

Os partidos de esquerda e centro (de oposição a Bolsonaro) fizeram pressão sob Pacheco para que ele não caminhar com o pedido de Bolsonaro: DEM, MDB e PSDB de um lado, e do PT, PDT, PSB, PCdoB, Cidadania, PV e Rede Sustentabilidade. A OAB encabeçou a lista contrária, na condição de não partido político.
A ação do Presidente Bolsonaro partiu no mesmo dia em que Moraes autorizou mandados de busca e apreensão contra o cantor Sérgio Reis e o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), dois aliados do mandatário, que uma semana atrás viu ser preso Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. O magistrado também determinou que nove investigados no Inquérito das Fake News não se aproximem no raio de um quilômetro da Praça dos Três Poderes.
Alexandre de Moraes manteve-se em silêncio, após a movimentação de Bolsonaro. Estrategicamente o ministro do STF aguardava o desfecho do pedido de Impeachment contra ele, mesmo sabendo que não prosperaria. Moraes deverá sair do silêncio e ir à caça de bolsonaristas com novas buscas, apreensões e prisões no desenrolar dos Inquéritos que tramitam em seu gabinete.