Português Italian English Spanish

Gilberto Gil, o novo imortal da Literatura: "Bolsonaro destrói e causa obscurantismo na Cultura Brasileira".

Gilberto Gil, o novo imortal da Literatura: "Bolsonaro destrói e causa obscurantismo na Cultura Brasileira".


O cantor e compositor Gilberto Gil, que assumiu a cadeira de imortal da Academia de Letras, disse que o Presidente Bolsonaro representa o retrocesso e o obscurantismo à Cultura Brasileira. Gilberto Gil foi ministro da Cultura durante o Governo Lula e responsável pela ampliação da Lei Rouanet (2003-2008). Para Gil, o veto de Bolsonaro à Lei Paulo Gustavo da Cultura é o resultado do atraso e o abismo intelectual que o Brasil está vivendo. Não podemos deixar isso continuar para o nosso bem.

 

O cantor e compositor Gilberto Gil fez duras críticas durante sua posse como imortal na Academia Brasileira de Letras (ABL). Ex-ministro da Cultura do Governo Lula entre 2093 e 2008, Gilberto Gil é um dos defensores mais raivosos da distribuição de recursos para artistas (Lei Rouanet) que foi criada durante sua gestão à frente da Cultura no governo do PT.

Gilberto Gil assumiu a cadeira de número 20 na Academia Brasileira de Letras no último sábado. 

“Poucas vezes na nossa história republicana o escritor, o artista, o produtor de cultura, foram tão hostilizados e depreciados como agora. Há uma guerra em prol da desrazão e do conflito ideológico nas redes sociais da Internet, e a questão merece a atenção dos nossos educadores e homens públicos. O extremismo contra a Cultura do atual Governo está correndo imagem intelectual do país que se imponha à maré do obscurantismo, da ignorância, e demagogia de feição antidemocrática".

A cadeira de número 20 da ABL pertenceu a Joaquim Manoel de Macedo, pai do clássico do romantismo brasileiro (A Moreninha).

Em entrevista à TV Francesa sobre sua posse na ABL, Gilberto Gil disse que o maior atentado à Cultura foi praticado novamente por Bolsonaro ao vetar a Lei Paulo Gustavo que tem como função primordial salvar artistas que precisam do apoio do Estado para divulgar suas artes.

Gil disse que ao assumir o Ministério da Cultura em 2003 no governo Lula, colocou em prática a ampliação da Lei de Incentivo à Cultura através da Lei Rouanet e que durante o governo Lula foi promovido uma verdadeira revolução na Cultura Nacional e, inclusive, a implantação do Vale Cultura. Espero que derrubem o veto e a Lei Paulo Gustavo ajude os artistas que aguardavam ansiosos.

Ano passado o cantor e compositor disse à respeito de Bolsonaro: "Raiva pessoal de Bolsonaro, eu não sentia. Porque eu não esperava nada deles. Eu já sabia que eles eram loucos. Não sentem um interesse profundo pela nação, pela sociedade. É difícil, faltam-me as palavras”.