Português Italian English Spanish

À Andre Mendonça: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".

À Andre Mendonça: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".


Sem entrar no mérito do cargo de ministro do STF, todos bolsonaristas, antibolsonaristas, lulistas, petistas, esquerda, direita, centro; enfim, o Brasil foi testemunha dos esforços do Presidente Jair Bolsonaro em colocar o "terrivelmente evangélico" André Mendonça no cargo que ele tanto queria: Ministro da Suprema Corte.

Os esforços foram tantos que André Mendonça foi desprezado por senadores de oposição, colocado meses na geladeira, até chegar ao patamar do escolhido ao cargo que mais aguardou para ser sabatinado pelos senadores. Bolsonaro colocou sua tropa de choque justamente no momento mais atípico para qualquer movimentação nas peças do jogo da política: O auge da CPI contra o Presidente no Senado em 2021.

Bolsonaro cumpriu seu acordo com os militantes bolsonaristas e entregou o cargo de Ministro do STF para André Mendonça que foi sacramentada em 16 de dezembro de 2021 com o placar mais apertado da história da República: 47 senadores favoráveis e 32 contrários. Foram 151 dias de espera, a mais longa na escolha de ministros do STF.

André Mendonça ao votar pela prisão de um deputado federal por "crimes em suas falas" e respectivamente a perda do mandato consagrado pela vontade máxima na Democracia que é o voto, enterra tudo àquilo que os bolsonaristas acreditavam no "terrivelmente evangélico". André Mendonça desde a votação vergonhosa contra a Democracia, calou-se e espantosamente virou às costas a quem o cativou!